Presidente em exercício, Toffoli inclui nome de Miguel Arraes no Livro dos Heróis da Pátria

foto-9

O presidente da República em exercício, Dias Toffoli, sancionou nesta terça-feira (25) projeto de lei que inscreve o nome do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes no Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria.

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Toffoli assumiu temporariamente o Palácio do Planalto em razão da viagem do presidente Michel Temer aos Estados Unidos.

Feito de aço, o livro fica guardado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

O panteão é um memorial cívico dedicado a figuras ilustres da história do país. O primeiro a ter seu nome inserido no livro foi o inconfidente Joaquim José da Silva Xavier, conhecido como Tiradentes.

Para que um novo nome seja incluído no livro, o Senado e a Câmara dos Deputados precisam aprovar uma lei.

Também estão no livro nomes como Zumbi dos Palmares, Marechal Deodoro da Fonseca, Chico Mendes, Santos Dumont, Getúlio Vargas, Heitor Villa-Lobos, Leonel Brizola, Zuzu Angel, Machado de Assis e Anita Garibaldi, entre outros.

TRAJETÓRIA

Nascido em Araripe (CE), Miguel Arraes foi deputado estadual e federal, prefeito do Recife e governador de Pernambuco por três mandatos.

Em 1964, no seu primeiro mandado como governador, foi deposto pela ditadura militar, ficou preso por quase um ano e depois se exilou na Argélia, onde permaneceu por 14 anos

Um dos principais quadros do PMDB e, posteriormente, do PSB, o político é uma das principais referências da esquerda no Brasil. Arraes morreu aos 88 anos, em 2005, no exercício do seu mandato no Congresso Nacional.

Fonte: G1 Pernambuco

Trajetória

Nascido em Araripe (CE), Miguel Arraes foi deputado estadual e federal, prefeito do Recife e governador de Pernambuco por três mandatos.

Em 1964, no seu primeiro mandado como governador, foi deposto pela ditadura militar, ficou preso por quase um ano e depois se exilou na Argélia, onde permaneceu por 14 anos.

Um dos principais quadros do PMDB e, posteriormente, do PSB, o político é uma das principais referências da esquerda no Brasil. Arraes morreu aos 88 anos, em 2005, no exercício do seu mandato no Congresso Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>